Homem Livre



O que mais me cansa
É a máscara que tenho de vestir
Para ser quem não sou
Nem nunca serei, até despir-me
De mim mesmo
E ser apenas pássaro, vento, brisa...

Nonsense




O medo
Cala meu grito
E bebo
Cevada de litro

Cedo não acordo
Na cama fico
De tudo discordo
E a manada sigo

Sono

A sombra da noite persegue meu dia soca meus olhos beija meu corpo afaga meu ego e se desfaz