3.1.08

A Morte da Cidade

 
Eu vejo a morte na TV
e sei que você vê
a morte na cidade
 
Explodindo da favela
pipocando contra ela
desrespeita sexo ou idade
 
Muita grana tá rolando
e a boa tá chegando
é a morte na cidade
 
Eu vejo sangue pela rua
e a noite não tem lua
é a sombra na cidade
 
Eu vejo a fome na TV
e sei que você vê
a fome na cidade
 
Muita grana tá rolando
e a boa tá chegando
é a morte da cidade


Abra sua conta no Yahoo! Mail, o único sem limite de espaço para armazenamento!

2.1.08

Morte e Vida Bovina

 
o meu boi morreu
meu Deus
fiquei a tarde
urubusservando
a briga que se trava
sobre o intestino de capim
 
uma nuvem negra esfomeada
chuvisca bicadas pra todo lado
 
já não há nada
apenas a grama molhada
de sangue
e estrume
latidos ecoam pelo campo
rasantes vôos sobre minha cabeça
uma guerra de fome
onde come quem puder
 
o meu boi morreu
meu Deus
fiquei triste
urubservando
a briga que se dava
sobre o destino daquele rim
 
nestes tempos de miséria
não é sempre que se tem
a morte de um boi
 
o filé-minhon foi para o açougue
sobrou a carne de pescoço
o osso
o duro
a cabeça
o chifre e a língua
 
30.04.2007


Abra sua conta no Yahoo! Mail, o único sem limite de espaço para armazenamento!

1.1.08

Retrospectiva 2007 e

1º de janeiro de 2008, um novo ano que se inicia. Novos projetos, novos sonhos, energias renovagas para novas empreitadas.

E, fazendo uma retrospectiva de 2007, vejo que foi um ano de muita vitória, muito sucesso. Um ano que passou rapidinho, em conseqüência de tantas coisas para fazer, mas um ano que foi muito bom!!!
Espero voltar a escrever e publicar meus poemas e micropoemas neste blog.
Quero desejar a todos um excelente 2008, que seja um ano de realizações e de muito sucesso, melhor que 2007!
Um grande abraço e até breve!
Lucimar
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...