3.1.06

Madrugada adentro

bêbado de insônia
tomo um banho, de madrugada
...
a garota do shampoo
olha e não diz nada
meus restos vitais
...
olhos de seda
vêem segredos mortais

Um comentário:

  1. Oi, Lucimar. Gostei muito deste poema. Vim te fazer uma visitinha e me surpreendi com o teu lirismo.
    Parabéns.
    Fazer poesia é uma arte, incompreendida por muitos, mas uma arte... E a sua poesia é poesia de artista.
    Beijinhos de luz.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...