27.10.05

Paisagem

.....................De um lado
barulhenta
....................a Cidade
....................................carro e gente que corre
....................................como sangue da cidade

....................................nas ruas e avenidas
....................................entre pedras e concretos
...
...................Do outro o Banhado
e com assiduidade
...................o Sol
...................em silêncio

silenciando a Cidade

Do livro Quando Uma Alma Encontra Outra

Um comentário:

  1. Ah, cidade, frenesi, correria. Mas a vida continua pulsando com tudo isso, e a gente se contenta em fazer poesia entre pedras e concretos.
    Cecília Meirelles tem um poema lindo sobre o que se é visto depende dos olhos que estão olhando. O meu é como diamante, consigo achar beleza no que é mais medonho.
    beijos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...